Foi o que deu, quando misturei meus enfeites e feitiços.
Coisas de Isa,
que quer deixar a vida mais bela!




Estou usando a idéia da Dieta Coletiva para dividir a minha experiência com a redução de peso. Eu acredito que é um processo muito individual pois o paladar e estória de vida de cada uma de nós são únicos e isso influencia totalmente as nossas decisões e preferências.

O que eu quero dizer com este blá blá blá é que a redução e manutenção de peso tem um preço especifico para cada pessoa.

Eu, por exemplo, não sou uma pessoa vaidosa, dou pouco valor a aparência física, e não faço sacrifícios em pró de ficar mais bonita. Então esse nunca foi o gancho que me motivasse a fazer regime.



Uma vez, durante uma aula, meu professor pediu licença para comer uma coisinha porque ele tinha almoçado correndo e estava com fome.

Todos começamos a conversar sobre coisas gostosas que gostaríamos de comer e nos dariam grande prazer. Então ele sacou uma barrinha de cereais da mochila e comeu com a melhor boca do mundo, dizendo que o prazer dele vinha do espelho, e não do prato.

Eu fiquei tão impressionada com a atitude dele ! Foi a primeira vez que consegui entender que a boa forma é resultado de uma atitude, além da pré-disposição genética.

Foi quando eu compreendi que quem é gordo, faz dietas loucas, restritivas, para (deixando de comer) eliminar excesso de peso. E quem é magro, faz escolhas magras, para (pensando o que comer) não ter excesso de peso.

É muito diferente, e eu nunca tinha visto dessa forma.

Mesmo não sendo a minha opção, não deixei de admirar o comprometimento e a firmeza com que ele buscava seus objetivos.

Tempos depois, quando resolvi emagrecer, procurei uma razão que me motivasse na medida certa.

Eu precisava de um motivo forte o bastante para "compensar" todo o esforço que a dieta exigiria. Eu sabia que dessa vez, estava iniciando um movimento que era para a vida toda.

Decidi que o motivo era o ganho de saúde.

Usei o post da minha amiga Fernanda Reali, Perder para ganhar, como estimulante e encasquetei com a idéia de optar pela saúde em primeiro lugar.


Sem me preocupar com a balança ou com medidas meus primeiros passos foram:


* Não repetir nenhuma refeição. Nunca. Não importa o quão delicioso seja o que se está comendo.

Pense bem, a gente tem que comer todos os dias, várias vezes, então pra que repetir ? Se gostou tanto assim do almoço, repita sim, a mesma comida no jantar. Ainda não se satisfez ??! Ok ! No almoço do dia seguinte coma isso de novo. E por aí vai, até enjoar. Mas uma porção a cada refeição.



* Opte sempre pelo que é natural, ou seja, o que a natureza nos dá, sem interferência do ser humano. Eu conheci um médico homeopata que condenava todo e qualquer tipo de biscoito industrializado. Ele tinha por regra o seguinte: se a sua bisavó não reconher determinado alimento como comida, ele não presta.

Pensando assim sobra muito pouca coisa para gente comer. Abuse das frutas, hortaliças, grãos e coma moderadamente nozes, castanhas, avelãs.



* Conhece aquela máxima "primeiro a obrigação e depois a diversão" ? Ela se aplica perfeitamente à reeducação alimentar.

Primeiro coma o que é saudável.

Primeiro coma a porção de salada, ou de legumes, e só depois coma a porçãozinha de lasanha, de estrogonofe, de feijoada light.

Assim você come menos do alimento mais calórico, sem complicações.


* Essa todo mundo conhece, mas é fundamental: coma a cada três horas.

Você não sente fome ?? É porque está acostumada a comer muito a cada refeição. Com o tempo isso se regulariza e você vai sentir fome sim, e vai aprender que uma barrinha de cereais (lembra do meu professor ? Um sábio!), uma fruta, ou um punhadinho de 6 amêndoas, saciam perfeitamente até a hora do jantar.



Comigo deu certo. Eu tomei essas atitudes, que não foram nada radicais, não doeram nem um pouquinho, e sem passar fome, reduzi o peso.


Melhor ainda, uma alimentação equilibrada e saudável ainda me deu muito mais energia e disposição.


É difícil de entender, mas vale a pena. Quando se perde peso, a gente só tem a ganhar.




5 comentários:

Kelly disse...

Às vezes penso que meu problema é mesmo falta de vergonha na cara, mas não consigo perder peso apenas com essas medidas que resolvem para a maioria das pessoas, para mim é preciso algo mais que ainda não sei o que é. Valeu pelas dicas, beijos

Kiki - no mundo divertido disse...

Amiga, continue firme, não está sendo nada fácil pra mim... mas estamos na luta uma ajudando a outra...
bjs

http://kikinomundodivertido.blogspot.com

Fernanda de Oliveira disse...

Olá, vi seu texto no blog Dieta Coletiva e daí resolvi dar uma espiadinha por aqui!

Primeiro, quero dizer que vc é muito boa com as palavras!!!!! Seus textos nos fazer parar, refletir e ficar pensando neles por um bom tempo!!! Isso é sensacional!

Segundo, no texto do Dieta Coletiva, vc disse tudo! Se vc não estiver disposta a pagar o preço de ser magra (pra sempre), nem adianta começar uma dieta, pois vai acabar voltando aos velhos hábitos e, pior, recuperando o peso perdido e muito mais...

Terceiro, AMEI de paixão a estorinha do seu professor... com certeza é o tipo de coisa que marca a gente, pois do mesmo jeito que te marcou, me marcou também, e tenho certeza que me lembrarei dele da próxima vez que me der aquele vontade doida de comer alguma coisa que nem sei direito o que é... rs

A propósito, como se chamava esse professor? Sempre gosto de dar "nome aos bois", principalmente quando a estorinha é boa rs

Obrigada por, mesmo sem saber, ter me dado uma ajuda de grande valor nessa minha tragetória da Dieta Coletiva!

Beijão =)

Fernanda Reali disse...

Oi, amada! Que bom. Eu te acho linda por dentro e por fora, mas com 5kg a menos vais ficar ainda mais linda!

A Kelly que comentou aqui tem um blog ótimo, leia tudo.

A Fer Oliveira é a grande "culpada" por eu ter comprado a maquininha de costura. Visite-a sempre, é inspirador.

Te amoooo!

beijo e me twitta!

Clau Finotti disse...

Oi Isa!

Gosto do jeito objetivo que vc aborda essas questões. É tudo questão de opção. Eu ando tentando me motivar com as roupas que estão abandonadas no armário, mas a saúde também tá melhorando, a disposição, tudo.

Hj até me dei um presente: uma tarde no salão de beleza reformando tudo... hehehe

Bjo grande.

Clau Finotti